A TRAGÉDIA DE CORIOLANO de William Shakespeare

a_tragedia_de_coriolano_aA TRAGÉDIA DE CORIOLANO de William Shakespeare
Com António Capelo, António Durães, António Simão, Dinarte Branco, Hugo Torres, Ivo Alexandre, João Cardoso, João Paulo Costa, João Pedro Vaz, Jorge Pinto, Manuel Wiborg, Miguel Borges, Paulo Claro, Paulo Moura Lopes, Rute Pimenta, Sylvie Rocha e Teresa Roby Tradução Manuel Resende Cenografia e figurinos Rita Lopes Alves assistida por Isabel Boavida Telas de Eduardo Batarda  Luz Pedro Domingos Movimento João Fiadeiro  Música José Eduardo Rocha Estagiário de cenografia Paulo Soares Estagiária de guarda-roupa Ana Luena Construções Luís Baptista  Telões Vítor Carlos Rebocho Fotografia Susana Paiva e Henrique Delgado Produção Pedro Caldas Asssistentes de produção Ivone Costa e Helena Barros Encenação Jorge Silva Melo assistido por Manuel João Águas e João Meireles
Uma co-produção dos Artistas Unidos / Culturporto/ Ensemble.

Estreia Rivoli Teatro Municipal ( Porto), 31 de Janeiro de 1998

O texto está publicado pelas Edições Afrontamento.

a_tragedia_de_coriolano_bCoriolano será a mais política das peças de Shakespeare. O seu assunto é indubitavelmente a política. O seu centro a cena em que Volúmnia , ecoando Maquiavel, roga ao filho que adapte a sua estratégia militar ao combate político. Mas contrariamente ao cânon político ( de Ésquilo a Bond) em que a marcha da História faz sentido e o combate se constrói do caos até à claridade, do matricídio à democracia, é impossível inventar por dentro deste texto de Shakespeare o lado pelo qual torce o autor.
[...]
É em Coriolano, cujo ritmo é inexorável, que Shakespeare marca o único silêncio do seu teatro: na cena da embaixada de Volúmnia, quando Caio Márcio lhe pega na mão, o tempo suspende o seu vôo para se calar por um instante. (E o Tempo irá mesmo entrar em cena para mudar o cenário e falar em verso naquela que há quem pense ter sido a sua peça seguinte ou talvez simultânea, o muito misterioso e tão lindo Conto do Inverno.)
[...]
a_tragedia_de_coriolano_cNão receando ser simplistas, podemos dizer que em Coriolano se colocam as duas ou três perguntas políticas a que os tempos que se seguiram foram respondendo, de muitas formas, sem nunca até hoje as termos esgotado: quem queremos que nos represente, que queremos que seja representado, que governo aceitamos, que é o corpo político, de que organizações necessitamos, como defender-nos, como equilibrar os contrários, como viver em sociedade? Chamem-lhe consenso, diálogo, convergência ou concertação, a resposta que a actualidade tem dado é: pela unificação. Ora que teatro é possível numa sociedade que recalca o conflito?
Jorge Silva Melo
26 de Dezembro 1997

Todos os pressupostos de encenação, todo o resultado de uma cuidada leitura da peça são enunciados de forma clara no espectáculo, numa articulação perfeita entre a palavra, o movimento, a música, a luz, e o excelente trabalho de cenografia e figurinos.
João Carneiro
Expresso, Fevereiro 1998

Teatro da Politécnica

DANIEL FERNANDES prog ARTISTA DO MÊS - DANIEL FERNANDES
retrato prog RETRATO DE MULHER ÁRABE QUE OLHA O MAR
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro
oteatro joaovieira prog VOLTAR A VER O JOÃO (VIEIRA)
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro
A NOITE ANTES DA FLORESTA de Bernard Marie Koltes prog A NOITE ANTES DA FLORESTA
de 12 a 15 de Dezembro
e DIFiCIL PRA MIM DANÇAR fotografia Alipio Padilha prog É DIFÍCIL PARA MIM DANÇAR
de 19 a 29 de Dezembro
O FILHO de Jon Fosse prog O FILHO
a 4 e 5 de Janeiro
as claras prog ÀS CLARAS um seminário dos Artistas Unidos
2019 Janeiro / Fevereiro e Maio / Julho

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, 212473972, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

DO ALTO DA PONTE 2 prog DO ALTO DA PONTE
No Teatro Nacional de S. João de 8 a 25 de Novembro
No Teatro Aveirense a 30 de Novembro
Na Póvoa de Varzim, no Cine-Teatro Garret a 1 de Dezembro
No S. Luiz Teatro Municipal de 10 a 27 de Janeiro de 2019
Em Faro, no Teatro das Figuras a 31 de Janeiro de 2019
No Teatro Municipal de Almada a 9 e 10 de Fevereiro de 2019
Em Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi a 16 de Fevereiro de 2019
Em Viana do Castelo, no Teatro Municipal Sá de Miranda a 16 de Março de 2019
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS. Como, não é retrato?
Em Coimbra, no Caminhos Film Festival, Mini-Auditório Salgado Zenha a 30 de Novembro, às 18h00

EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas

Livrinhos de Teatro

assinaturas2019

Assinaturas Livrinhos de Teatro 2019

Assinar »»

Subscrever Newsletter