O ENCARREGADO de Harold Pinter

o_encarregado_c O ENCARREGADO (The Caretaker) de Harold Pinter
Tradução Francisco Frazão Com Américo Silva, Jorge Silva Melo e José Airosa  Cenografia e figurinos Rita Lopes Alves, Rosa Gonçalves, José Manuel Reis Luz Pedro Domingos Som André Pires Encenação João Meireles
Uma produção Culturgest/Artistas Unidos

Estreia Culturgest, 5 de Dezembro de 2002
Teatro Taborda, 6 de Novembro de 2003

O texto está publicado no volume TEATRO I de Harold Pinter (Ed. Relógio d´Água ).

o_encarregado_bTHE CARETAKER estreou no Arts Theatre em 27 Abril de 1960, numa encenação de Donald McWhinnie, com cenários e iluminação de Brian Curry e o seguinte elenco: Peter Woodthrope (Aston); Alan Bates (Mick); Donald Pleasence (Davies). O espectáculo foi transferido nesse mesmo ano para o Duchess Theatre. No ano seguinte, estreou em Paris com Roger Blin, José Varela e Jean Martin e estreou quase em simultâneo em Amsterdão, Dusseldorf, Hannover, Essen, Bielefeld, Cape Town e Nova Iorque. A peça recebeu o Evening Standard Award para a melhor peça do ano ( 1960). O triunfo do espectáculo foi de tal ordem que um grupo de personalidades que incluia Richard Burton, Leslie Caron, Noël Coward, Peter Hall, Peter Sellers e Elizabeth Taylor fundou uma produtora para a produção de um filme (também com Bates e Pleasence, mas agora com Robert Shaw no papel de Aston) que foi realizado por Clive Donner em 1963. Em 1991, o próprio Pinter encenou a peça no Comedy Theatre. Em Portugal estreou no Teatro Tivoli em 1967 com o título O PORTEIRO, numa tradução de João Vieira e Jacinto Ramos e encenação de Jorge Listopad, com Augusto de Figueiredo, Jacinto Ramos e Henrique Viana.

Talvez Aston traga para casa o vagabundo Davies como mais uma das coisas inúteis que lhe atravancam o quarto.
Aston tem um barracão para construir no jardim mas não desiste de tentar arranjar a ficha de uma torradeira, Davies quer ir a Sidcup buscar os seus documentos só que o tempo não há maneira de melhorar. E Mick entra em cena, fala de frutos secos, autocarros e decoração de interiores, manipula Davies com um nonsense inquietante, assusta-o, ameaça-o, oferece-lhe sanduíches. Em momentos diferentes, os irmãos Aston e Mick propõem a Davies o lugar de encarregado do prédio (com que funções?). As perguntas são: quem é que toma conta de quê e de quem? quem é que manda em quê e em quem? como é possível viver em conjunto quando a linguagem é feita de relações de poder, por entre alianças, traições e pequenas violências?

Claro que eu próprio me ri enquanto escrevia O ENCARREGADO mas não o tempo todo, não "indiscriminadamente". [...] Tanto quanto isso me diz respeito, O ENCARREGADO é uma peça engraçada, até um certo ponto. Para além desse ponto, deixa de ser engraçada e foi por causa desse ponto que a escrevi.
Harold Pinter

o_encarregado_aEspirituoso, violento, escrito com um ouvido infalível para os ritmos da língua, ameaçador e terno, O ENCARREGADO é visivelmente obra da mesma mente inquieta que nos deu FELIZ ANIVERSÁRIO, peça que agora é considerada das maiores do nosso tempo. Tal como nessa, também aqui há um intruso, também aqui aquele cuja casa é invadida é lento no espírito e na fala. Fica perturbado, e por vezes tem medo. O vagabundo sujo e desprezível em relação a quem ele mostra carinho e dedicação trata-o com uma ingratidão insuportável. Mas no entanto este homem, Aston, que não é apenas lento mas também gentil, generoso e bem formado é realmente formidável. Todos os ataques, toda a luta vem do outro lado. Mas, tirando um momento, nunca duvidamos de quem exerce o poder. Na escrita magistral desta personagen há uma implacabilidade tão poderosa e silenciosa que tentar demovê-lo é como dar murros contra uma parede. Aston é admirável, agradável, tem a justiça do seu lado. O vagabundo, Davies, é no final o mesmo que no início, um impostor, cruel, egoísta e sem escrúpulos. E no entanto, quando o pano cai sobre a fraca rendição de Davies, é com este vagabundo que fica a nossa simpatia. E sem que, no entanto, em nada tenha diminuído a nossa admiração por Aston. Pinter olha com igual penetração para dentro do coração de homens que estão em lados opostos.
Harold Hobson, Sunday Times, 1960

O sólido realismo das circunstâncias e personagens em O ENCARREGADO e o facto de a realidade ter aqui um aspecto indeterminado, aberto e misterioso da própria vida, é o fundamento da eficácia deste texto num alto plano - o plano da imagem poética, a metáfora de uma verdade maior e mais geral, um arquétipo poderoso e universal. Isto é no fundo devido à extrema clareza e aguda precisão com que o mundo real é aqui representado. E é a primeira peça de Pinter a ter conseguido esta completa síntese entre o realismo da acção exterior e a metáfora poética, a imagem onírica de arquétipos intemporais no mais profundo - ou elevado - nível de impacto.
Martin Esslin

Teatro da Politécnica

retrato prog RETRATO DE MULHER ÁRABE QUE OLHA O MAR
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro
oteatro joaovieira prog VOLTAR A VER O JOÃO (VIEIRA)
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

DO ALTO DA PONTE 2 prog DO ALTO DA PONTE
No Teatro Municipal de Vila Real a 19 de Outubro
No Teatro Municipal de Bragança a 27 de Outubro
Em Ponte de Lima, no Teatro Diogo Bernardes a 3 de Novembro
No Teatro Nacional de S. João de 8 a 25 de Novembro
No Teatro Aveirense a 30 de Novembro
Na Póvoa de Varzim, no Cine-Teatro Garret a 1 de Dezembro
No S. Luiz Teatro Municipal de 10 a 27 de Janeiro de 2019
Em Faro, no Teatro das Figuras a 31 de Janeiro de 2019
No Teatro Municipal de Almada a 9 e 10 de Fevereiro de 2019
Em Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi a 16 de Fevereiro de 2019
Em Viana do Castelo, no Teatro Municipal Sá de Miranda a 16 de Março de 2019
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS. Como, não é retrato?
Em Coimbra, no Caminhos Film Festival, Mini-Auditório Salgado Zenha a 30 de Novembro, às 18h00

EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
12 de Novembro Luís Vaz de Camões por Jorge Silva Melo
Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica)

Livrinhos de Teatro

assinaturas2019

Assinaturas Livrinhos de Teatro 2019

Assinar »»

Subscrever Newsletter