HÁ TANTO TEMPO de Harold Pinter

ha_tanto_tempo_a HÁ TANTO TEMPO (Old Times) de Harold Pinter
Tradução Jorge Silva Melo Com Isabel Muñoz Cardoso, Nuno Melo e Margarida Marinho Cenografia e figurinos Rita Lopes Alves, Rosa Gonçalves e José Manuel Reis
Luz Pedro Domingos Encenação Solveig Nordlund
Uma produção Solveig Nordlund /Artistas Unidos/ Centro Cultural de Belém

Estreia Centro Cultural de Belém, 26 de Julho de 2002
CAM/Acarte, 24 de Outubro de 2002

O texto está publicado no volume TEATRO II de Harold Pinter (Ed. Relógio d´Água ).

ha_tanto_tempo_bOLD TIMES estreou no Aldwych Theatre no dia 1 de Junho de 1971, numa produção da Royal Shakespeare Company com o seguinte elenco: Deeley - Colin Blakely; Anna - Vivien Merchant; Kate - Dorothy Tutin. Encenação de Peter Hall. Cenários e iluminação de John Bury. Figurinos de Beatrice Dawson. Em Portugal estreou a 12/10/78 com tradução de Ricardo Alberty e encenação de Carlos Quevedo com Catarina Avelar, Fernando Curado Ribeiro e Graça Lobo.
O casal mora numa quinta recuperada for a de Londres. Uma amiga chega. A maior amiga da mulher. Mas quem é ela? Uma ladra? A amante da mulher? A antiga amantedo marido? Uma escrita teatral rarefeita, incisiva sobre os meandros da memória e o passado. E a sombra da boémia de uma Londres dos anos 50 que não voltam.
Um pesadelo? Um jogo? O que é a base sempre mutável desta relação? O sonho está embebido de realidade, a realidade e as memórias têm uma qualidade onírica e os jogos são sonhos feitos de fragmentos da realidade.
Martin Esslin
Com OLD TIMES, Pinter rompe com o "teatro da ameaça" para inaugurar aquilo que se poderia chamar " o teatro da recordação". Tudo se passa em sítios fechados, e a tentativa de domínio de um por outro ser continua a ser real. Mas o presente é só o reflexo de um passado sujeito a caução, o afrontamento de lembranças diversas ou contraditórias numa espécie de concurso da memória tanto mais perigoso quanto é elegante, subtil e finalmente mortal.
Eric Kahane

Teatro da Politécnica

retrato prog RETRATO DE MULHER ÁRABE QUE OLHA O MAR
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro
oteatro joaovieira prog VOLTAR A VER O JOÃO (VIEIRA)
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

DO ALTO DA PONTE 2 prog DO ALTO DA PONTE
No Teatro Municipal de Vila Real a 19 de Outubro
No Teatro Municipal de Bragança a 27 de Outubro
Em Ponte de Lima, no Teatro Diogo Bernardes a 3 de Novembro
No Teatro Nacional de S. João de 8 a 25 de Novembro
No Teatro Aveirense a 30 de Novembro
Na Póvoa de Varzim, no Cine-Teatro Garret a 1 de Dezembro
No S. Luiz Teatro Municipal de 10 a 27 de Janeiro de 2019
Em Faro, no Teatro das Figuras a 31 de Janeiro de 2019
No Teatro Municipal de Almada a 9 e 10 de Fevereiro de 2019
Em Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi a 16 de Fevereiro de 2019
Em Viana do Castelo, no Teatro Municipal Sá de Miranda a 16 de Março de 2019
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS. Como, não é retrato?
Em Coimbra, no Caminhos Film Festival, Mini-Auditório Salgado Zenha a 30 de Novembro, às 18h00

EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
12 de Novembro Luís Vaz de Camões por Jorge Silva Melo
Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica)

Livrinhos de Teatro

assinaturas2019

Assinaturas Livrinhos de Teatro 2019

Assinar »»

Subscrever Newsletter