4.48 PSICOSE de Sarah Kane

psicose_a 4.48 PSICOSE de Sarah Kane
Tradução
de Pedro Marques Com Gracinda Nave e Miguel Borges Encenação João Fiadeiro  Assistência de encenação Pedro Marques  Cenário e figurinos Rita Lopes Alves, Isabel Nogueira, José Manuel Reis  Luz Pedro Domingos Som André Pires

Estreia no Espaço A Capital/ Teatro Paulo Claro - 18 de Outubro de 2001

O TEATRO COMPLETO de Sarah Kane está publicado pela Campo das Letras

4.48 Psicose é um aglomerado de fragmentos que vão sendo esculpidos e justapostos: diálogos médico/doente, monólogos que registam a depressão, listas de remédios, de verbos, de números, explosões líricas. Todo o texto é uma tentativa de descobrir uma razão para fugir às 4 e 48: o suicídio, a hora da claridade. A hora da acção. A hora da decisão.

psicose_b4.48 Psicose não é a carta de uma pessoa para outra pessoa mas sim uma peça, prevista para ser representada por pelo menos um e provavelmente mais actores. A mente, que é o sujeito dos fragmentos da peça, é a mente psicótica. Uma mente que é da autorae que é também mais que a da autora. É uma mente que, pela forma aberta da peça, deixa o público entrar e reconhecer-se lá dentro. A voz da peça entra na terapia e na infinita medicação, nenhuma delas consegue aliviar o sofrimento, fala com o médico usando uma inteligência sardónica. A comédia negra desta descrição de drogas prescritas e negligenciáveis efeitos secundários faz-me lembrar Lear na charneca exigindo o impossível do seu farmacêutico: "adoça a minha imaginação."
David Greig

O texto, que tem uma explícita construção poética, "queima" na síntese lírica uma procura existencial complexa e dolorosa e radiografa um progressivo alheamento do mundo, marcado por afirmações categóricas de emoções e por catálogos de psicofármacos, que dão o ritmo a uma descida ao abismo da loucura e à rejeição progressiva do próprio conceito de cura, num isolamento terrível (.).
Luca Scarlini

"Um texto que faz mover as palavras entre a vida e a morte. Um encenador que encontrou esse movimento. E dois actores que são o corpo do que estão a dizer. (.) Só vi uma fotografia de Sarah Kane, meio desfocada, de que já não me lembro bem. Depois de 4.48 vejo-a assim, como Gracinda Nave, de vestido branco, quase incorpórea, falando como se já não estivesse aqui. E não consigo ver outra actriz a dizer aquelas palavras. Também é isso o teatro."
Alexandra Lucas Coelho. Público

Teatro da Politécnica

ARTISTA DO MÊS fevereiro 18 prog ARTISTA DO MÊS
Maria Bernardino
dramaticulos prog DRAMATÍCULOS
de 22 a 24 de Fevereiro
O Teatro da Amante Inglesa prog O TEATRO DA AMANTE INGLESA
de 7 de Março a 14 de Abril
desenhos com cor prog DESENHOS COM COR
de 7 de Março a 14 de Abril

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.ticketline.sapo.pt, Fnac, Worten, C. C. Dolce Vita, El Corte Inglês, Casino Lisboa, Galeria Comercial Campo Pequeno, Lojas Viagens Abreu e INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

O GRANDE DIA DA BATALHA prog O GRANDE DIA DA BATALHA variações sobre o ALBERGUE NOCTURNO de Máximo Gorki
No Teatro Nacional D. Maria II de 18 de Janeiro a 25 de Fevereiro
fragil 1 prog FRÁGIL
Em Évora, n'A Bruxa Teatro a 2 de Março
Em Sobral de Monte Agraço, no CineTeatro Sobral a 28 de Abril
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
Na Biblioteca da Imprensa Nacional
2 de Abril - Adolfo Casais Monteiro por Jorge Silva Melo e Luís Lucas
9 de Maio - Gomes Leal por Jorge Silva Melo e Manuel Wiborg
EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas

Livrinhos de Teatro

capa114

SEM ALARDE
de Owen McCafferty
Livrinhos de Teatro nº114 Artistas Unidos/Cotovia

Livraria online »»

Subscrever Newsletter