RÁDIO CLANDESTINA de Ascanio Celestini

radio_clandestina_a RÁDIO CLANDESTINA
Roma, Valas Ardeatinas, Memória
Escrito, dirigido e representado por Ascanio Celestini
Música Original de Matteo D’Agostino

Teatro Taborda, 12, 13 e 14 de Julho de 2005
Integrado no Festival de Teatro de Almada
Apoio da Egeac

Uma mulher aproxima-se e pede a alguém que lhe leia uns placards onde está escrito “aluga-se” e “vende-se”. É iletrada. Alguém diz “Hoje em dia pessoas como a senhora são raras, mas durante a guerra havia muitas pessoas que não sabiam ler nem escrever. E muitas delas iam ao cinema do meu avô Giulio, perto da Porta Pia, o Iris, para que lhes lessem as proclamações dos Alemães que vinham nos jornais.”

Baseado em L’ordine è già stato eseguito (A ordem já foi cumprida) de Alessandro Portelli

radio_clandestina_bEm Março de 1944, a proclamação que lhes leram anuncia a morte de 320 pessoas: o massacre das Valas Ardeatinas. “A carnificina nas Valas Ardeatinas é uma história que se pode contar num minuto ou numa semana.” É uma história que começa no século dezanove, quando Roma se torna capital da Itália, e continua durante os anos seguintes quando são construídos os bairros de periferia, depois em África e na Espanha, nas leis anti-semitas de 1938, na Segunda Guerra Mundial, no bombardeamento de San Lorenzo e chega até ao armistício de 8 de Setembro de 1943. É a história da ocupação alemã, mas não acaba com a Libertação de Roma. É a história de homens enterrados debaixo de toneladas de terra numa pedreira na Via Ardeatina e das mulheres que vão à procura deles, as mulheres trabalhadoras dos anos Cinquenta, e dos filhos e netos que ainda contam a história.
23 de Março de 1944: Os Grupos de Acção Patriótica de partisans atacam uma coluna de polícias Alemães na Via Rasella.
24 de Março de 1944: Em resposta, os Nazis executam 335 pessoas numa pedreira na Via Ardeatina.
25 de Março de 1944: Nos jornais de Roma está escrita a proclamação Nazi que denuncia a acção partisan e o massacre que se seguiu.

Contada assim, parece ser uma história que começa num dia e termina dois dias depois; uma história que dura algumas horas apenas. Mas um livro premiado de Alessandro Portelli (Prémio Viareggio), L’ordine è già stato eseguito, coloca-a no meio dos nove meses de ocupação Nazi de Roma, e depois dentro dos cinco anos de guerra, e vinte anos de Fascismo; na história oral de uma Roma que foi feita capital de Itália e começa a mudar rapidamente. O livro é baseado em 200 entrevistas e testemunha o facto de que não é uma história de três dias mas sim uma coisa viva, ainda reconhecível como parte da memória de toda uma cidade.

O primeiro estudo para um projecto mais alargado sobre a tradição oral e memória do massacre das Valas Ardeatinas for apresentado de 31 de Outubro a 3 de Novembro na cela nº11 na antiga prisão Nazi em Roma (Via Tasso), agora Museu da Libertação, como parte do programa I Luoghi della Memoria (Lugares da Memória), organizado pela Cidade de Roma e o Teatro de Roma.

Teatro da Politécnica

retrato prog RETRATO DE MULHER ÁRABE QUE OLHA O MAR
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro
oteatro joaovieira prog VOLTAR A VER O JOÃO (VIEIRA)
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

DO ALTO DA PONTE 2 prog DO ALTO DA PONTE
No Teatro Municipal de Vila Real a 19 de Outubro
No Teatro Municipal de Bragança a 27 de Outubro
Em Ponte de Lima, no Teatro Diogo Bernardes a 3 de Novembro
No Teatro Nacional de S. João de 8 a 25 de Novembro
No Teatro Aveirense a 30 de Novembro
Na Póvoa de Varzim, no Cine-Teatro Garret a 1 de Dezembro
No S. Luiz Teatro Municipal de 10 a 27 de Janeiro de 2019
Em Faro, no Teatro das Figuras a 31 de Janeiro de 2019
No Teatro Municipal de Almada a 9 e 10 de Fevereiro de 2019
Em Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi a 16 de Fevereiro de 2019
Em Viana do Castelo, no Teatro Municipal Sá de Miranda a 16 de Março de 2019
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS. Como, não é retrato?
Em Coimbra, no Caminhos Film Festival, Mini-Auditório Salgado Zenha a 30 de Novembro, às 18h00

EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
12 de Novembro Luís Vaz de Camões por Jorge Silva Melo
Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica)

Livrinhos de Teatro

assinaturas2019

Assinaturas Livrinhos de Teatro 2019

Assinar »»

Subscrever Newsletter