JOAQUIM BRAVO, ÉVORA, 1935, ETC. ETC. FELICIDADES de Jorge Silva Melo

joaquim_bravo_a JOAQUIM BRAVO, ÉVORA, 1935, ETC ETC FELICIDADES (1999) de Jorge Silva Melo (doc.)
Realização: Jorge Silva Melo Produção: Manuel João Aguas Imagem: Rui Poças e Miguel Ceitil Som: Pedro Caldas e António Pedro Figueiredo Montagem: Vítor Alves

Estreia dia 21 de Junho de 2000 no Centro de Arte Moderna José Azevedo Perdigão (Fundação Gulbenkian)
Outras exibições: RTP 2 - Programa Artes e Letras (25 de Junho de 2000), Museu de Arte Contemporânea da Fundação Serralves, Porto (6 de Julho de 2000), Centro Cultural de Lagos (por ocasião da Exposição Lapa/ Bravo/ Palolo) - Julho a Agosto de 2005, King (Sala 2), Lisboa (6 de Setembro de 2000), Cinemateca Portuguesa - Ciclo Rui Poças (7 de Dezembro de 2005), Cinemateca Portuguesa (20 de Maio de 2009).
Na Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva a 9, 15, 23 e 29 de Outubro e 6 e 12 de Novembro de 2011.

"O facto de ter realizado em 1995 um documentário intitulado PALOLO, VER O PENSAMENTO A CORRER fez nascer a pouco e pouco o desejo de um outro documentário, de carácter mais historiográfico, sobre o grupo de artistas que, desde os finais dos anos 50, começaram a impor caminhos de grande originalidade (e heterodoxia) a partir de Évora. Falo de Joaquim Bravo, Álvaro Lapa e Palolo.
Jorge Silva Melo

Joaquim Bravo (Évora, 1935 - Lisboa, 1990) expôs pela primeira vez em 1964, inaugurando a que viria a ser uma das mais decisivas galerias portuguesas, a 111 no Campo Grande. A sua influência doutrinária e a sua enorme capacidade de entusiasmo iriam marcar no início dos anos sessenta o grupo de pintores de Évora (Lapa, Palolo) e, nos anos 80, artistas como Xana e Cabrita Reis. Na sua morte, uma comovente homenagem foi-lhe prestada por um grupo enorme e variado de artistas que ia de João Vieira a Miranda Justo. A sua obra encontra-se dispersa num grande número de colecções particulares e institucionais.

Participaram no filme António Palolo, Álvaro Lapa, Cabrita Reis, Xana, Luís Campos, Vera Gonçalves, Maria de Lurdes Bravo, Miranda Justo.

Teatro da Politécnica

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.ticketline.sapo.pt, Fnac, Worten, C. C. Dolce Vita, El Corte Inglês, Casino Lisboa, Galeria Comercial Campo Pequeno, Lojas Viagens Abreu e INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

O GRANDE DIA DA BATALHA prog O GRANDE DIA DA BATALHA variações sobre o ALBERGUE NOCTURNO de Máximo Gorki
No Teatro Nacional D. Maria II de 18 de Janeiro a 25 de Fevereiro
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
Na Biblioteca da Imprensa Nacional
5 de Fevereiro de 2018: Alberto de Lacerda por Jorge Silva Melo e Nuno
2 de Abril de 2018: Adolfo Casais Monteiro por Jorge Silva Melo e Luís Lucas
9 de Maio de 2018: Gomes Leal por Jorge Silva Melo e Manuel Wiborg
a arte em imagens 1 A ARTE DAS IMAGENS
De janeiro de 2017 a janeiro de 2018 nos primeiros domingos de cada mês, às 15h30, a Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva exibe os filmes produzidos pelos Artistas Unidos sobre artistas plásticos.

Livrinhos de Teatro

assinaturas 2018 fundo

Assinaturas Livrinhos de Teatro 2018

Assinar »»

Subscrever Newsletter