GIOVANNI TESTORI

giovanni_testoriNasceu nos arredores de Milão (Novate Milanese) em 1923 e morreu em 1993). Foi poeta, novelista, dramaturgo, historiador de arte, pintor e critico literário. Oriundo de uma família de profunda prática católica, Testori exprime em todas as suas obras uma forte ligação com a religião. O seu entusiasmo aparentemente contraditório com o escritor Manzoni e o pintor Caravaggio revela bem a dicotomia em que se move Testori, numa religiosidade feita de tensões, dúvidas, arrependimentos e sacrilégio. Licenciou-se em 1947 na Universidade Católica do Sagrado Coração (Milão) com uma tese sobre o surrealismo. Sob a influência do grande mestre Roberto Longhi inicia uma intensa actividade de crítica de arte, organizando exposições, publicando artigos sobretudo sobre a pintura lombarda do classicismo ao maneirismo. Mas também escreveu sobre pintores seus contemporâneos como Guttuso, Cassinari, Morlotti que seguia com atenção. É de 1954, o seu primeiro romance, Il Dio di Roserio (publicado na Einaudi) que viria a constituir o primeiro tomo dos Segredos de Milão que compõem Il ponte della Ghisolfa, La Gilda del Mac Mahon, La Maria Brasca, Il Fabbricone e o póstumo Nebbia al Giambellino. Nestas narrativas, Testori desenha o retrato da gente pobre que luta pela sobrevivência na periferia milanesa desses anos. E foi nesses textos que Lucchino Visconti foi buscar a fonte para Rocco e Os Seus Irmãos, que escreveu com Vasco Pratolini. A primeira incursão de Testori no teatro foi com L Arialda, em 1960, texto que provocou um enorme escândalo, acusado de obscenidade, devido à temática homossexual. A obra foi proibida pela censura e só no ano seguinte, após várias iniciativas que incluíram reuniões com o Presidente da República Italiana, foi dada autorização para ser representada no Piccolo Teatro di Milano, com direcção de Visconti e interpretação dos maiores nomes do teatro italano de então, os prestigiadíssimos Rina Morelli, Paolo Stoppa, Umberto Orsini, Pupella Maggio e Lucilia Morlacchi. Um elemento crucial na escrita de Testori é a utilização de uma linguagem original criada pela fusão do dialecto lombardo com importações do francês e do inglês. Foi assim nas três obras que compõem a Trilogia degli Scarrozzanti, (L'Ambleto (1972), Macbetto (1974) e Edipus). O autor desenvolve aqui uma incessante experimentação linguística, misturando elementos arcaicos e recordações dos originais clássicos com um forte expressionismo linguístico. Em 1977, sucedeu a Pasolini como cronista no jornal Corriere della Sera, de que virá também a dirigir a secção de artes. Com a morte da mãe, nesse mesmo ano (1977), Testori aproxima-se da religião e do grupo católico Comunhão e Liberdade. E escreve uma nova trilogia (Conversazione con la morte (1978), Interrogatório a Maria (1979) e Factum est (1981). Todo este processo de religiosidade trágica e conflituosa irá culminar com a adaptação cénica do seu romance In exitu que escreveu para o actor Franco Branciaroli (com quem trabalhou ininterruptamente) e na publicação dos Três Prantos (Cleopatras. Herodiades, Mater Mor Angustiosa). Paralelamente à sua actividade de escritor, Testori foi um interessante pintor, expondo regularmente até quase ao ano da sua morte.

Nos Artistas Unidos:
2012 - HERODIADES de Giovanni Testori, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).

Teatro da Politécnica

retrato prog RETRATO DE MULHER ÁRABE QUE OLHA O MAR
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro
oteatro joaovieira prog VOLTAR A VER O JOÃO (VIEIRA)
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

DO ALTO DA PONTE 2 prog DO ALTO DA PONTE
No Teatro Municipal de Bragança a 27 de Outubro
Em Ponte de Lima, no Teatro Diogo Bernardes a 3 de Novembro
No Teatro Nacional de S. João de 8 a 25 de Novembro
No Teatro Aveirense a 30 de Novembro
Na Póvoa de Varzim, no Cine-Teatro Garret a 1 de Dezembro
No S. Luiz Teatro Municipal de 10 a 27 de Janeiro de 2019
Em Faro, no Teatro das Figuras a 31 de Janeiro de 2019
No Teatro Municipal de Almada a 9 e 10 de Fevereiro de 2019
Em Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi a 16 de Fevereiro de 2019
Em Viana do Castelo, no Teatro Municipal Sá de Miranda a 16 de Março de 2019
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS. Como, não é retrato?
Em Coimbra, no Caminhos Film Festival, Mini-Auditório Salgado Zenha a 30 de Novembro, às 18h00

EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
12 de Novembro Luís Vaz de Camões por Jorge Silva Melo
Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica)

Livrinhos de Teatro

assinaturas2019

Assinaturas Livrinhos de Teatro 2019

Assinar »»

Subscrever Newsletter