A FÁBRICA DE NADA de Judith Herzberg

fabrica_nada_aA FÁBRICA DE NADA de Judith Herzberg
Tradução de David Bracke e Miguel Castro Caldas
Com Américo Silva, António Filipe, António Simão, Carla Galvão / Inês Nogueira, Hugo Samora, João Meireles, João Miguel Rodrigues, Miguel Telmo, Mílton Lopes, Paulo Pinto, Pedro Carraca, Pedro Gil, Sérgio Grilo, Vítor Correia e os músicos Gonçalo Lopes, João Madeira, Miguel Fevereiro, Paulo Curado, Rini Luyks e Rui Faustino Figurinos Rita Lopes Alves Apoio Cenográfico Daniel Fernandes Luz Pedro Domingos Direcção musical Rui Rebelo Encenação Jorge Silva Melo Assistência de encenação Joana Bárcia e João Meireles Coordenação pedagógica Paula Bárcia
Uma produção Artistas Unidos / Culturgest / Teatro Viriato / DeVIR/CAPa / Centro das Artes Casa das Mudas com o apoio da Embaixada dos Paises Baixos

Estreia na Culturgest a 7 de Novembro de 2005
Na Culturgest de 7 a 14 de Novembro de 2005
Na Casa das Mudas Calheta ( Funchal) a 17, 18, 19 e 20 de Novembro de 2005
No Teatro Viriato ( Viseu) a 6, 7 e 8 de Dezembro de 2005
No Teatro Curvo Semedo ( Montemor-O-Novo) a 15 de Dezembro de 2005
No Teatro Pax Julia ( Beja) a 10 de Janeiro de 2006
No Centro Cultural Vila-Flor ( Guimarães) a 13 de Janeiro de 2006
No Teatro Aveirense a 17 e 18 de Janeiro de 2006
No Cine-Teatro de Estarreja a 21 de Janeiro de 2006
No Teatro Municipal de Faro a 26 de Janeiro de 2006
No Teatro Municipal de Almada de 16 a 20 de Janeiro de 2008
No Teatro Virgínia (Torres Novas) a 24 de Janeiro de 2008
Na Casa das Artes (Famalicão) a 1 de Fevereiro de 2008
No Teatro José Lúcio da Silva (Leiria) a 6 de Março de 2008
No Cine-Teatro S.João (Palmela) no dia 12 de Março
No Teatro da Malaposta de 14 de Fevereiro a 16 de Março de 2008

O texto está publicado nos LIVRINHOS DE TEATRO, Volume 13 dos Artistas Unidos.

Uma fábrica de cinzeiros fecha, e os trabalhadores, não querendo ficar desempregados, resolvem continuar a trabalhar numa nova produção: nada. À volta de nada organiza-se tudo, desde a escolha do gerente da fábrica, aos furtos dos produtos e aos tribunais, com muita música cantada e tocada a mostrar por que caminhos segue esta história.

fabrica_nada_bEstes operários que preferem fazer nada a nada fazer inscrevem-se mais na linha do saber ver quando se vê do Alberto Caeiro e do fazer não fazendo do Lau Tsu, do que no preferia não o fazer do Bartleby. Em lugar da angústia do desaparecimento das coisas e dos seres que a palavra vazio sugere, o vazio que o patrão deixa ao fechar a fábrica permite o vazio do espaço côncavo em que tudo pode acontecer precisamente porque está vazio. Permite a boa projecção do som. E os músicos, atrás dos actores, seguem atentamente o que se vai passando com as vozes. Estes operários dizem-nos assim, a cantar: a fábrica fecha, não faz mal, nós continuamos na mesma, não nos vão ver aos molhos nos noticiários a protestar à porta da fábrica, nem vamos calados para casa perder a nossa dignidade no sofá. Não precisamos de mais nada do que estarmos uns com os outros porque força como esta só existe outra, que também temos: a música.

PARA UMA DRAMATURGIA JUVENIL
Durante as próximas três temporadas (2005/6, 2006/7 e 2007/8), tencionam os Artistas Unidos dedicar parte da sua actividade ao fomento de uma dramaturgia juvenil.

Experiências recentes e estimulantes como a das ‘Connections’ no National Theatre mostram com clareza que uma nova dramaturgia é possível para um público pré-adolescente e adolescente. Não se trata apenas de criação de espectáculos para jovens, mas da escrita de peças destinadas a um público juvenil. Os Artistas Unidos, interessados no desenvolvimento das dramaturgias contemporâneas, não podem ignorar esta tendência tanto mais que têm escrito para projectos destes autores que podemos considerar nossos “cúmplices” como Jon Fosse, Judith Herzberg, David Greig, David Harrower, Finn Junker, Fausto Paravidino, Letizia Russo.

Na maior parte desses casos, os textos criados são textos que possam vir a servir de base a trabalho escolar e juvenil. Mas, conscientes das fragilidades das ligações entre o teatro e a escola em Portugal, tencionam os AU criar um programa-piloto com a duração de três temporadas em que se produzirão profissionalmente 3 espectáculos para espectadores juvenis a partir de textos já escritos por autores que já trabalhámos (Judith Herzberg e Jon Fosse) e de uma primeira encomenda a jovem autor português que acompanhará as produções anteriores (Miguel Castro Caldas).

A este projecto de 3 anos associam-se a Culturgest, a DeVir, a Casa das Mudas, o Teatro Viriato e o Centro Cultural de Belém.

Teatro da Politécnica

VEMO NOS AO NASCER DO DIA de ZInnie Harris prog VEMO-NOS AO NASCER DO DIA
de 6 de Novembro a 14 de Dezembro
RETRATO DE UM RAPAZ prog RETRATO DE UM RAPAZ
de 6 de Novembro a 14 de Dezembro

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, 212473972, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

VEMO NOS AO NASCER DO DIA de ZInnie Harris prog VEMO-NOS AO NASCER DO DIA
No Teatro Estúdio-Ildefonso Valério a 25 e 26 de Outubro
VIDAS ÍNTIMAS de Nöel Coward prog VIDAS ÍNTIMAS
No Teatro Municipal de Vila Real a 31 de Outubro de 2019
No Teatro Municipal da Guarda a 8 de Novembro de 2019
No Porto, no Teatro Nacional São João de 14 de Novembro a 1 de Dezembro de 2019
No Teatro Aveirense a 6 de Dezembro de 2019
Em Ponte de Lima, no teatro Diogo Bernardes a 14 de Dezembro de 2019
Na Póvoa de Varzim, no Cine-Teatro Garrett a 4 de Janeiro de 2020
Em Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi a 11 de Janeiro de 2020
Em Santarém, no Teatro Municipal Sá da Bandeira a 18 de Janeiro de 2020
Em Braga, no Theatro Circo a 24 de Janeiro de 2020
Em Leiria, no Teatro José Lúcio da Silva a 6 de Fevereiro de 2020
Em Coimbra, no Convento S. Francisco a 8 de Fevereiro de 2020
Em Viana do Castelo, no Teatro Sá de Miranda a 15 de Fevereiro de 2020
Em Viseu, no Teatro Viriato a 21 e 22 de Fevereiro de 2020
No Teatro-Cine de Torres Vedras a 28 de Fevereiro de 2020
Em Torres Novas, no Teatro Virgínia a 29 de Fevereiro de 2020
No CCB – Centro Cultural de Belém de 4 a 9 de Março de 2020
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica)

11 de Novembro – José Gomes Ferreira por João Meireles (distribuição em curso)

EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA
os nossos poetas leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Livrinhos de Teatro

K 128 Zinnie

VEMO-NOS AO NASCER DO DIA/ MAIS LONGE QUE A COISA MAIS LONGE
De Zinnie Harris
Livrinhos de Teatro nº 128 Artistas Unidos/Cotovia

Livraria online »»

Subscrever Newsletter