ANDREIA BENTO

Andreia Bento

Tem a Licenciatura da ESTC. Realizou o estágio profissional-curricular nas produções dos Artistas Unidos. Como actriz trabalhou no Pogo Teatro, Teatro Infantil de Lisboa, Teatro da Malaposta com Ana Nave, Teatro Aberto com José Wallenstein e na curta-metragem A Rapariga no Espelho de Pedro Fortes. Autora dos textos para o programa de Cowboy Mouth de Sam Shepard, com encenação de Francisco Salgado. Colabora com os AU desde 2001, trabalhando como assistente de encenação, directora de projecto, actriz e encenadora. Sócia dos AU de 2006 a 2019.

Nos Artistas Unidos:

2001 – DIAS FELIZES de Samuel Beckett, encenação de Madalena Victorino (A Capital Teatro Paulo Claro).
2002 – A COLECÇÃO de Harold Pinter, encenação de Artur Ramos, (CCB).
2003 – BAAL de Bertolt Brecht, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Viriato); CADA DIA A CADA UM A LIBERDADE E O REINO, montagem de textos de Pedro Marques e Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Sala do Senado da Assembleia da República).
2004 – TERRORISMO dos Irmãos Presniakov, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Taborda); PONTAPÉ DE SAÍDA; NO PAPEL DA VÍTIMA dos Irmãos Presniakov, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); Leitura de FIM DE LINHA e excertos de TOMBA DI CANI de Letizia Russo, direcção de Pedro Marques, OS TEATROS QUE VÊM DE ITÁLIA (Festival de Almada / Teatro da Trindade); Leitura de NATUREZA MORTA NUMA VALA de Fausto Paravidino, direcção de Andreia Bento e Isabel Muñoz Cardoso, OS TEATROS QUE VÊM DE ITÁLIA (Festival de Almada / Teatro Municipal Joaquim Benite).
2005 –
TÃO SÓ O FIM DO MUNDO de Jean-Luc Lagarce, encenação de Alberto Seixas Santos (Teatro Taborda); AS REGRAS DA ARTE DE BEM VIVER NA SOCIEDADE MODERNA de Jean-Luc Lagarce, encenação de Andreia Bento (Teatro Taborda); CONFERÊNCIA DE IMPRENSA E OUTRAS ALDRABICES de Harold PinterAntonio TarantinoArne SierensAntonio OnettiDavide EniaDuncan McLeanEnda WalshFinn IunkerIrmãos PresniakovJon FosseJosé Maria Vieira Mendes, Jorge Silva Melo, Juan MayorgaLetizia RussoMarcos BarbosaMiguel Castro CaldasSpiro Scimone, uma canção de Boris Vian e outros ainda, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); MUSIC-HALL de Jean-Luc Lagarce, encenação de François Berreur. (CCB); OS ANIMAIS DOMÉSTICOS de Letizia Russo, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); Leitura de GREGUERÍAS de Ramón Gómez de la Serna (Serralves); Recitais HAROLD PINTER (Anfiteatro I da FLUL).
2006 –
A MATA de Jesper Halle, encenação de Franzisca Aarflot (Teatro Municipal Joaquim Benite); BREVES TEXTOS PARA A LIBERDADE de José Maria Vieira MendesArne LygreJesper Halle e Gro Dahle, encenação de João Meireles (Det Åpne Teater de Oslo / Teatro Municipal Joaquim Benite).
2007 – HAMELIN de Juan Mayorga, encenação colectiva (Convento das Mónicas); MECENAS, MECENAS de Almeida Faria, José Maria Vieira Mendes, Miguel Castro Caldas, Jacinto Lucas Pires e Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (FCG); DISCO PIGS de Enda Walsh, encenação de Franzisca Aarflot (Sociedade Guilherme Cossoul); Leitura ESTAVA EM CASA E ESPERAVA QUE A CHUVA VIESSE de Jean-Luc Lagarce (IFP); Leitura de A FALA DA CRIADA DOS NOAILLES QUE NO FIM DE CONTAS VAMOS DESCOBRIR CHAMAR-SE TAMBÉM SÉVERINE NUMA NOITE DO INVERNO DE 1975, EM HYÈRES de Jorge Silva Melo (Convento das Mónicas); Leitura de HAMELIN de Juan Mayroga (Centro de Reabilitação de Nossa Senhora dos Anjos);
2008 – ONDE VAMOS MORAR de José Maria Vieira Mendes, encenação de Jorge Silva Melo (Convento das Mónicas); ISTO NÃO É UM CONCURSO, coordenação de Andreia Bento e Jorge Silva Melo (Festival de Almada / IFP); NORUEGA-LISBOA-NORUEGA de Arne Lygre, Jesper Halle, José Maria Vieira Mendes e Miguel Castro Caldas, direcção de projecto Franzisca Aarflot (FCG / SLTM).
2009 – ESTA NOITE IMPROVISA-SE de Luigi Pirandello, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); O PESO DAS RAZÕES de Nuno Júdice, encenação de Jorge Silva Melo (Biblioteca da Assembleia da República); SEIS PERSONAGENS À PROCURA DE AUTOR de Luigi Pirandello, encenação de Jorge Silva Melo (SLTM); VIAJAR TALVEZ de Judith Herzberg (Antena 2 – Teatro sem fios); ONDE VAMOS MORAR de José Maria Vieira Mendes (Antena 2 – Teatro sem fios).
2010 – CANTIGAS DE UMA NOITE DE VERÃO (Uma peça de amores e desencontros) de David Greig e Gordon McIntyre, encenação de Franzisca Aarflot (Teatro da Trindade); O RAPAZ DA ÚLTIMA FILA de Juan Mayorga (Antena 2 – Teatro sem fios).
2011 – NÃO SE BRINCA COM O AMOR de Alfred de Musset, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Viriato); Leitura de DESEJO de Benet i Jornet, direcção de Jorge Silva Melo, TRÊS AUTORES CATALÃES EM LISBOA (TEIA | TNDMII); Leitura de DA REPÚBLICA E DAS GENTES de Manuel Gusmão e Jorge Silva Melo, direcção de Jorge Silva Melo (TNDMII); POR TUDO E POR NADA de Nathalie Sarraute (Antena 2 – Teatro sem fios).
2012 – O RAPAZ DA ÚLTIMA FILA de Juan Mayorga, encenação colectiva (Teatro da Politécnica); FELIZ ANIVERSÁRIO de Harold Pinter, encenação Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).
2013 – POR TUDO E POR NADA de Nathalie Sarraute encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica); SALA VIP de Jorge Silva Melo encenação Pedro Gil (Culturgest); CAVALGADA PARA O MAR e A SOMBRA DA RAVINA de J. M. Synge (Antena 2 – Teatro sem fios).
2014 – A MODÉSTIA de Rafael Spregelburd, encenação de Amândio Pinheiro (Teatro da Politécnica); A CASA DE RAMALLAH de Antonio Tarantino, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica); ALTA ÁUSTRIA de FX Kroetz (Antena 2 – Teatro sem fios).
2015
 – OS ACONTECIMENTOS de David Greig, encenação de António Simão (Teatro da Politécnica); A BATALHA DE NÃO SEI QUÊ de Ricardo Neves-Neves, encenação Ricardo Neves-Neves (Teatro da Politécnica); A NOITE de Lluïsa Cunillé (Antena 2 – Teatro sem fios).
2016 – AQUI ESTÁ ELA de Nathalie Sarraute (Antena 2 – Teatro sem fios); ESTAVA EM CASA E ESPERAVA QUE A CHUVA VIESSE de Jean-Luc Lagarce (Antena 2 – Teatro sem fios); NESTA HORA PRIMEIRA nos 40 anos da Constituição da República Portuguesa, montagem de textos e encenação de Jorge Silva Melo (Sala dos Passos Perdidos da Assembleia da República); O NOVO DANCING ELÉCTRICO, de Enda Walsh, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).
2017 – A ESTUPIDEZ de Rafael Spregelburd, encenação de João Pedro Mamede (Teatro da Politécnica); NA MARGEM DE LÁ – Um Lamento de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); O AVEJÃO de Raúl Brandão (Antena 2 – Teatro sem fios); A OMISSÃO DA FAMÍLIA COLEMAN de Claudio Tolcachir (Antena 2 – Teatro sem fios); Leituras de MULHERES SONHARAM CAVALOS de Daniel Veronese, A OMISSÃO DA FAMÍLIA COLEMAN de Claudio Tolcachir e EM TERAPIA de Matías Del Federico, A VOZ DO TEATRO LATINO-AMERICANO (Teatro da Politécnica / Antena 2 – Teatro sem fios); Leitura encenada de TENHO TRINTA ANOS, ESTOU NA CADEIA HÁ QUATRO alguns “Papéis da Prisão” de Luandino Vieira, encenação de Jorge Silva Melo (FCG).
2018O VENTO NUM VIOLINO de Claudio Tolcachir, encenação colectiva (Teatro da Politécnica); O BORRÃO e CONSULTÓRIO de Augusto Sobral (Antena 2 – Teatro sem fios); UM TIRO NA CABEÇA de Pau Miró (Antena 2 – Teatro sem fios); ILHA DO DESPORTO, ILHA DO FUTURO e NOÉ de Ricardo Neves-Neves (Antena 2 – Teatro sem fios); CLARA de Arthur Miller (Antena 2 – Teatro sem fios).
2019 – O DIA SEGUINTE de Luiz Francisco Rebello, direcção de António Simão (Antena 2 – Teatro sem fios); EMÍLIA de Claudio Tolcachir, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica); VEMO-NOS AO NASCER DO DIA de Zinnie Harris, encenação de Pedro Carraca (Teatro da Politécnica).