ANTÓNIA TERRINHA

antonia terrinha

Estreou profissionalmente em 1984 no espectáculo Trágicos e Marítimos de João Brites n´O Bando com quem veio a criar mais de 20 espectáculos, o mais recente dos quais tendo sido Quarentena (2014). Integrou ainda espectáculos dirigidos por Rui Madeira, João Mota, José Caldas, Luís Miguel Cintra, Diogo Dória, Mário Viegas, Cândido Ferreira. A partir de 2001 dirigiu alguns espectáculos quer no Bando quer no Teatro Extremo. Traduziu O Vento Num Violino de Claudio Tolcachir.

Nos Artistas Unidos:
2016 O NOVO DANCING ELÉCTRICO de Enda Walsh, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).
2017 O AVEJÃO de Raúl Brandão (Antena 2 – Teatro sem fios).
2020A CORAGEM DA MINHA MÃE de George Tabori, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).
2021A CIRCULARIDADE DO QUADRADO de Dimítris Dimitriádis, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).