ANTÓNIO SIMÃO

António Simão

Tem os cursos do IFICT (1992) e IFP (1994). Trabalhou com Margarida Carpinteiro, António Fonseca, Aldona Skiba-Lickel, Ávila Costa, João Brites, Melinda Eltenton, Filipe Crawford, Joaquim Nicolau, Antonino Solmer e Jean Jourdheuil. Integra os Artistas Unidos desde 1995.

Nos Artistas Unidos:
19
95 ANTÓNIO, UM RAPAZ DE LISBOA de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (FCG).
1996 O FIM OU TENDE MISERICÓRDIA DE NÓS de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Culturgest).
1997   PROMETEU AGRILHOADO/LIBERTADO de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Trindade); ENTRADA EM PALCO (doc.), realização Pedro Caldas.
1998 – A TRAGÉDIA DE CORIOLANO de William Shakespeare, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Rivoli); A QUEDA DO EGOÍSTA JOHANN FATZER de Bertolt Brecht, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Variedades); O PESCADOR À LINHA de Jaime Salazar Sampaio, um projecto de António Simão (SEM DEUS NEM CHEFE 1); É SÓ UM MINUTO (c.m.), realização de Pedro Caldas.
1999  NA SELVA DAS CIDADES de Bertolt Brecht, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Comuna); CINEMAAMOR (c. m.), realização de Jacinto Lucas Pires.
2000 
AGÁ, O PIOLHO de Marke O’Rowe, encenação de António Simão (Espaço A Capital); O NAVIO DOS NEGROS de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Culturgest); Leituras de TEATRO NEERLANDÊS: AMADOR de Gerardjan Rijnders; PERDA TOTAL de Karst Woudstra; OS CASAMENTOS DE LEA de Judith Herzberg; DONA DE CASA de Esther Gerritsen; CONSTRUTOR(ES) DE TÚNEIS de Don Duyns; O MEU BLACKIE de Arne Sierens (Espaço A Capital).
2001 OS IRMÃOS GEBOERS de Arne Sierens, encenação de Jorge Silva Melo (A Capital Teatro Paulo Claro); A HISTÓRIA DO ESCRIVÃO BARTLEBY de Francisco Luís Parreira, encenação de João Meireles (A Capital Teatro Paulo Claro); E DEPOIS (BAL TRAP) de Xavier Durringer, encenação de Gilles Lefeuvre – Kiraly (A Capital Teatro Paulo Claro); Seminário DIANTE DOS TEUS OLHOS (A Capital Teatro Paulo Claro); Leituras de O TEATRO QUE VEM DA ESCÓCIA: LUGARES DE PASSAGEM de Stephen Greenhorn, A ÚLTIMA MENSAGEM DO COSMONAUTA PARA A MULHER QUE UM DIA AMOU NA ANTIGA UNIÃO SOVIÉTICA de David Greig, PRESENÇA de David Harrower, RUG COMES TO SHUV, ENTES CEGO e UMA COISA É CERTA de Duncan McLean (A Capital Teatro Paulo Claro).
2002  MOUCHETTE de Arne Sierens, encenação de Pedro Carraca (Voruit – Gent / Voz do Operário).
2003  BAAL de Bertolt Brecht, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Viriato); VICTORIA STATION, de Harold Pinter, um trabalho de Rogério Vieira e António Simão (Teatro Taborda); T1 de José Maria Vieira Mendes, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Taborda); CADA DIA A CADA UM A LIBERDADE E O REINO, montagem de textos de Pedro Marques e Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Sala do Senado da Assembleia da República); VIVE QUEM VIVE, de Jacques Prévert, um trabalho de António Simão e Joana Bárcia (Teatro Taborda); Leituras de PURO SANGRE, MARCADO PELO TIPEX e SANTÍSSIMA APUNHALADA de ANTONIO ONETTI (Festival de Almada / Teatro Municipal Joaquim Benite); O NARIZ E OUTRAS HISTÓRIAS (Feira do Livro de Lisboa).
2004  TERRORISMO dos Irmãos Presniakov, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Taborda); A NOITE CANTA OS SEUS CANTOS, de Jon Fosse, encenação de João Fiadeiro (Teatro Taborda); MADE IN CHINA de Mark O´Rowe, encenação de António Simão (Teatro Taborda); DOIS IRMÃOS de Fausto Paravidino, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Taborda); NO PAPEL DA VÍTIMA dos Irmãos Presniakov, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); Leitura de PENETRADOR de Anthony Neilson (Teatro Taborda); Leitura de GÉNOVA 01 de Fausto Paravidino, direcção de Jorge Silva Melo, OS TEATROS QUE VÊM DE ITÁLIA (Festival de Teatro de Almada / Teatro Municipal Joaquim Benite).
2005  MARCADO PELO TIPEX de Antonio Onetti, encenação de  João Meireles (Teatro Taborda); CONFERÊNCIA DE IMPRENSA E OUTRAS ALDRABICES de Harold PinterAntonio TarantinoArne SierensAntonio OnettiDavide EniaDuncan McLeanEnda WalshFinn IunkerIrmãos PresniakovJon FosseJosé Maria Vieira MendesJorge Silva MeloJuan MayorgaLetizia RussoMarcos BarbosaMiguel Castro CaldasSpiro Scimone, uma canção de Boris Vian e outros ainda, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); MUSIC-HALL de Jean-Luc Lagarce encenação de François Berreur (CCB); A FÁBRICA DE NADA de Judith Herzberg, encenação de Jorge Silva Melo (Culturgest); OS ANIMAIS DOMÉSTICOS de Letizia Russo, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); Recitais HAROLD PINTER (Anfiteatro I da FLUL).
2006 A MATA de Jesper Halle, encenação Franzisca Aarflot (Teatro Municipal Joaquim Benite); O TRABALHO EM CENA (Culturgest).
2007 LILÁS de Jon Fosse, encenação João Miguel Rodrigues (CCB); HAMELIN de Juan Mayorga, encenação colectiva (Convento das Mónicas);MECENAS, MECENAS de Almeida Faria, José Maria Vieira Mendes, Miguel Castro Caldas, Jacinto Lucas Pires e Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (FCG; Leitura de HAMELIN de Juan Mayorga (Centro de Reabilitação de Nossa Senhora dos Anjos).
2008 – ACAMARRADOS de Enda Walsh (Centro Cultural da Malaposta); ISTO NÃO É UM CONCURSO, coordenação Andreia Bento e Jorge Silva Melo (Festival de Almada / IFP); NORUEGA-LISBOA-NORUEGA de Arne Lygre, Jesper Halle, José Maria Vieira Mendes e Miguel Castro Caldas, direcção de projecto de Franzisca Aarflot (FCG / SLTM); Leitura de UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA a partir de Bohumil Hrabal (Centro de Reabilitação de Nossa Senhora dos Anjos).
2009 – ESTA NOITE IMPROVISA-SE de Luigi Pirandello, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA de  Bohumil Hrabal (FESTIVAL DE LÍNGUA PORTUGUESA – FESTLIP; Rede SESC RIO DE TEATROS – Rio de Janeiro – Brasil); SEIS PERSONAGENS À PROCURA DE AUTOR de Luigi Pirandello, encenação de Jorge Silva Melo (SLTM); ANA de José Maria Vieira Mendes, encenação de Jorge Silva Melo (CCB); A NOITE CANTA OS SEUS CANTOS de Jon Fosse (Antena 2 – Teatro sem fios).
2010 – REI ÉDIPO a partir de Sófocles, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); COMEMORAÇÃO de Harold Pinter, encenação de Jorge Silva Melo (CCB); A CHEGADA DE AGAMEMNON na ORESTEIA de Esquilo, ensaio aberto dirigido por Jorge Silva Melo (TEIA | TNDMII); FALA DA CRIADA DOS NOAILLES QUE NO FIM DE CONTAS VAMOS DESCOBRIR CHAMAR-SE TAMBÉM SÉVERINE NUMA NOITE DO INVERNO de 1975, EM HYÈRES de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Culturgest); ANA de José Maria Vieira Mendes (Antena 2 – Teatro sem fios); A PAIXÃO DO JARDINEIRO de Jean-Pierre Sarrazac (Antena 2 – Teatro sem fios); O RAPAZ DA ÚLTIMA FILA de Juan Mayorga (Antena 2 – Teatro sem fios).
2011 – UM HOMEM FALIDO de David Lescot, encenação de António Simão (IFP); O TORNO de Luigi Pirandello (Antena 2 – Teatro sem fios); Leitura de BARCELONA MAPA DE SOMBRAS de Lluïsa Cunillé, TRÊS AUTORES CATALÃES EM LISBOA, (TNDMII); Leitura de DA REPÚBLICA E DAS GENTES de Manuel Gusmão e Jorge Silva Melo (TNDMII); NÃO SE BRINCA COM O AMOR de Alfred de Musset, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Viriato); À PORTA FECHADA de Jean Paul Sartre (Antena 2 – Teatro sem fios); POR TUDO E POR NADA de Nathalie Sarraute (Antena 2– Teatro sem fios); A FARSA DA RUA W de Enda Walsh (Teatro da Politécnica).
2012 – A MORTE DE DANTON de Georg Büchner, encenação de Jorge Silva Melo (CCVF / TNDMII); OS CAPRICHOS DA MARIANNE de Alfred de Musset (Palácio Fronteira / Antena 2 – Teatro sem fios); FELIZ ANIVERSÁRIO de Harold Pinter, encenação Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).
2013 – A ESTALAJADEIRA de Carlo Goldoni, encenação de Jorge Silva Melo (TNSJ); O CAMPEÃO DO MUNDO OCIDENTAL de J. M. Synge, encenação de Jorge Silva Melo (TNDMII); SALA VIP de Jorge Silva Melo, encenação Pedro Gil (Culturgest); CAVALGADA PARA O MAR e A SOMBRA DA RAVINA de J. M. Synge (Antena 2 – Teatro sem fios).
2014 – PUNK ROCK de Simon Stephens, encenação de Pedro Carraca (Teatro da Politécnica); A MODÉSTIA de Rafael Spregelburd, encenação de Amândio Pinheiro (Teatro da Politécnica); A CASA DE RAMALLAH de Antonio Tarantino, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).
2015 – OS ACONTECIMENTOS de David Greig, encenação de António Simão (Teatro da Politécnica); JOGADORES de Pau Miró, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica / Antena 2 – Teatro sem fios); A NOITE de Lluïsa Cunillé (Antena 2 – Teatro sem fios).
2016 – NESTA HORA PRIMEIRA – NOS 40 ANOS DA ASSEMBLEIA CONSTITUINTE montagem de textos e encenação de Jorge Silva Melo (Sala dos Passos Perdidos da Assembleia da República); AQUI ESTÁ ELA! de Nathalie Sarraute (Antena 2 – Teatro sem fios).
2017
 – A ESTUPIDEZ de Rafael Spregelburd, encenação de João Pedro Mamede (Teatro da Politécnica); Leitura encenada de TENHO TRINTA ANOS, ESTOU NA CADEIA HÁ QUATRO alguns “Papéis da Prisão”de Luandino Vieira, encenação de Jorge Silva Melo (FCG); O CINEMA de Annie Baker, encenação de Pedro Carraca (Culturgest / Teatro da Politécnica); O AVEJÃO de Raúl Brandão (Antena 2 – Teatro sem fios); JOGADORES de Pau Miró, realização de Jorge Silva Melo e Miguel Aguiar (RTP2); A OMISSÃO DA FAMÍLIA COLEMAN de Claudio Tolcachir (Antena 2 – Teatro sem fios); Leitura de TELEVISÃO e CINEMA MUDO de José Gardeazabal, TRILOGIA DO OLHAR (Impresa Nacional Casa da Moeda); MULHERES SONHARAM CAVALOS de Daniel Veronese (Antena 2 – Teatro sem fios); Leituras de MULHERES SONHARAM CAVALOS de Daniel Veronese, A OMISSÃO DA FAMÍLIA COLEMAN de Claudio Tolcachir e EM TERAPIA de Matías Del Federico, A VOZ DO TEATRO LATINO-AMERICANO (Teatro da Politécnica).
2018DO ALTO DA PONTE de Arthur Miller, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Viriato); O BORRÃO e CONSULTÓRIO de Augusto Sobral (Antena 2 – Teatro sem fios); CLARA de Arthur Miller (Antena 2 – Teatro sem fios); EM VOZ ALTA (Casa Sommer, Cascais / Casa da Cultura, Setúbal / Teatrão, Coimbra).
2019 – BALLYTURK de Enda Walsh, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica); O DIA SEGUINTE de Luiz Francisco Rebello, direcção de António Simão (Antena 2 – Teatro sem fios); EM VOZ ALTA (Casa da Cultura, Setúbal).