FERNANDA MONTEMOR

Fernanda Montemor

Estreou-se no Teatro Ginásio na Companhia de Alves da Cunha, tendo depois integrado o Teatro do Povo, dirigido por Francisco Ribeiro. A partir de 1956 trabalhou no Trindade com Orlando Vitorino e Azinhal Abelho tendo interpretado Lorca, Tchékhov, Gogol, Gil Vicente, Shakespeare, Sheridan, Bernard Shaw, Kleist. Participou em dezenas de peças no Teatro do Gerifalto. Em 1973 integra o elenco do Teatro Estúdio de Lisboa, dirigido por Luzia Maria Martins, com interpretações em peças de Edward Bond, Luzia Maria Martins, David Hare, Vaclav Havel, Edward Albee, Simon Gray e Lillian Helmann. Trabalhou ainda com encenadores como Artur Ramos, Adolfo Marsillach, Fernando Gusmão, Peter Kleiwert/Peter Shroeder, Joaquim Benite, João Lourenço, Blanco Gil, Fernanda Lapa, António Feio, Castro Guedes. Durante seis temporadas integrou o elenco do Teatro Infantil de Lisboa sob direcção de Fernando Gomes. Nos últimos anos participou em Hedda Gabler de Ibsen, encenação de Juvenal Garcês, Night Mother de Marsha Norman, encenação de Celso Cleto e Elefantes no Jardim de Virgílio Almeida, encenação de Teresa Sobral. Foi uma das pioneiras da televisão em Portugal, tendo interpretado em directo várias peças de teatro, das quais destaca textos de Synge, Dickens, Molière, Marivaux, Vasco Mendonça Alves, Gil Vicente, Ricardo Alberty, William Shakespeare, Jean Giraudoux, Ben Jonson e Marcel Pagnol. Participou nas séries Zé Gato e Duarte e Cia e no programa infantil Rua Sésamo. Morreu em Março de 2015.

Nos Artistas Unidos:
2001 – OS IRMÃOS GEBOERS de Arne Sierens, encenação de Jorge Silva Melo (A Capital Teatro Paulo Claro).
2004DOIS IRMÃOS de Fausto Paravidino, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Taborda).
2005 TÃO SÓ O FIM DO MUNDO de Jean-Luc Lagarce, encenação de Alberto Seixas Santos (Teatro Taborda).
2007 – ESTAVA EM CASA E ESPERAVA QUE A CHUVA VIESSE de Jean-Luc Lagarce (Instituto Franco-Português).
2008 – TÃO SÓ O FIM DO MUNDO de Jean-Luc Lagarce (Antena 2).