GRAÇA LOBO

Graça Lobo

Estreou-se na Casa da Comédia no espectáculo Noites Brancas a partir de Dostoievsky (enc.: Norberto Barroca) quando ainda era aluna do Conservatório. Integrou a companhia do Teatro Estúdio de Lisboa e do Teatro Experimental de Cascais, assim como a CPC ou o Teatro de Todos os Tempos. Interpretou textos de Pirandello, Giraudoux, Gombrowicz, Genet, Copi, Albee, Feydeau, tendo, entre outros, trabalhado com os encenadores Carlos Avilez e Victor Garcia. Em 1979, fundou a Companhia de Teatro de Lisboa onde interpretou textos de Harold Pinter, James Joyce, Samuel Beckett, Miguel Esteves Cardoso, Noel Coward, Henrik Ibsen, Alan Ayckbourn, além das Cartas Portuguesas atríbuídas a Mariana Alcoforado, espectáculo que fez carreira no TNDM II, São Luiz, La Mamma Experimental Theatre & Etc/New York, Festival Internacional de São Francisco (1980), Ljubliania – ex Jugoslávia, Rio, São Paulo, Brasília, Tóquio em intercâmbio com actriz japonesa Kyoko Kishida, que se manteve em Tóquio com o espectáculo a fazer carreira comercial.

Nos Artistas Unidos:
2010
POESIAS DE MÁRIO CESARINY (Fundação Arpad Szenes/Vieira da Silva); DA CINZA ÀS CINZAS de Harold Pinter (Antena 2); BECKETT – JOYCE (IFP).
2011DA REPÚBLICA E DAS GENTES de Manuel Gusmão e Jorge Silva Melo (TNDMII)