ISABEL MUÑOZ CARDOSO

Isabel Muñoz Cardoso

Tem o curso do Centro Cultural de Évora. Trabalhou com Luís Varela, José Peixoto (Teatro da Rainha / Teatro da Malaposta), José Carlos Faria, José Mora Ramos, Diogo Dória (Centro Cultural de Belém), Jean Jourdheuil, entre outros. Formou o Teatro do Tejo em 1989. No cinema participou em António, Um Rapaz de Lisboa de Jorge Silva Melo.

Nos Artistas Unidos:
1995 ANTÓNIO, UM RAPAZ DE LISBOA de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Fundação Gulbenkian reposto no Teatro Tivoli em 1996).
1996 PROMETEU-RASCUNHOS À LUZ DO DIA de Jorge Silva Melo encenação de Jorge Silva Melo (Festival de Almada).
1997 PROMETEU AGRILHOADO/LIBERTADO de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Trindade).
1998 BURACO NEGRO e CÂNCER de Gerardjan Rijnders (SEM DEUS NEM CHEFE 1).
2000 VAI VIR ALGUÉM de Jon Fosse, encenação de Solveig Nordlund (A Capital Teatro Paulo Claro); AO OLHAR PARA TI (RENASCIDO) DE NOVO de Gregory Motton (A Capital Teatro Paulo Claro); O NAVIO DOS NEGROS de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Culturgest / Festival de Almada).
2001 FALTA (CRAVE) de Sarah Kane, encenação de Jorge Silva Melo (A Capital Teatro Paulo Claro); DIAS FELIZES de Samuel Beckett, encenação de Madalena Victorino (A Capital Teatro Paulo Claro); O MEU BLACKIE de Arne Sierens, encenação de Cláudio da Silva (A Capital Teatro Paulo Claro); O BATERISTA de Arne Sierens, um trabalho de Isabel Muñoz Cardoso e Vítor Correia (A Capital Teatro Paulo Claro).
2002 HÁ TANTO TEMPO de Harold Pinter, encenação de Solveig Nordlund (Centro Cultural de Belém/ CAM – Acarte).
2003
BAAL de Bertolt Brecht, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Viriato), CADA DIA A CADA UM A LIBERDADE E O REINO (Sala do Senado da Assembleia da República).
2004 TERRORISMO dos Irmãos Presniakov, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Taborda). A NOITE CANTA OS SEUS CANTOS, de Jon Fosse, encenação de João Fiadeiro (Teatro Taborda); NÃO POSSO ADIAR O CORAÇÃO, (Assembleia da República); MADE IN CHINA de Mark O´Rowe, encenação de António Simão (Teatro Taborda); NO PAPEL DA VÍTIMA dos Irmãos Presniakov, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Nacional D. Maria II).
2005 MARCADO PELO TIPEX de Antonio Onetti, encenação de João Meireles (Teatro Taborda). AS REGRAS DA ARTE DE BEM VIVER NA SOCIEDADE MODERNA de Jean-Luc Lagarce, encenação de Andreia Bento (Teatro Taborda).
2010A CHEGADA DE AGAMEMNON na ORESTEIA de Esquilo, ensaio aberto dirigido por Jorge Silva Melo (TEIA 2010 | TNDM II).
2014GATA EM TELHADO DE ZINCO QUENTE de Tennessee Williams, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Viriato).
2015DOCE PÁSSARO DA JUVENTUDE de Tennessee Williams, encenação de Jorge Silva Melo (São Luiz); MORRO COMO PAÍS de Dimítris Dimitriádis (Antena 2); A NOITE de Lluïsa Cunillé (Antena 2).
2016JARDIM ZOOLÓGICO DE VIDRO de Tennesse Williams, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica); SAVANAH BAY de Marguerite Duras (Antena 2); ESTAVA EM CASA À ESPERA QUE A CHUVA VIESSE de Jean-Luc Lagarce (Antena 2); O NOVO DANCING ELÉCTRICO de Enda Walsh, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).
2017A NOITE DA IGUANA de Tennessee Williams, encenação Jorge Silva Melo (S. Luiz Teatro Municipal, TNSJ); A VERTIGEM DOS ANIMAIS ANTES DO ABATE de Dimítris Dimitriádis, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica); NÃO ME LEMBRO DE NADA de Arthur Miller (Antena 2); A VOZ DO TEATRO LATINO-AMERICANO (Teatro da Politécnica); A OMISSÃO DA FAMÍLIA COLEMAN de Claudio Tolcachir (Antena 2).
2018O GRANDE DIA DA BATALHA variações sobre o ALBERGUE NOCTURNO de Máximo Gorki de Jorge Silva Melo (TNDMII).