PEDRO CAEIRO

Pedro Caeiro

Estreia-se como actor em 2003, no São Luiz Teatro Municipal, com “Caixa de Sombras” de Michael Cristofer, com encenação de Marco D’Almeida. Neste mesmo teatro, participa em “Romeu e Julieta” de William Shakespeare, com encenação de John Retallack. Em 2005, conclui o curso de Interpretação da Escola Profissional de Teatro de Cascais. Colaborou com o Teatro do Vestido nos espectáculos “Fora de Casa por Agora” e “Nómadas”. Colaborou em espectáculos do Teatro Experimental de Cascais encenados por Carlos Avilez, como “Doce Pássaro da Juventude” de Tenesse Williams, “Marat/Sade” de Peter Weiss, “ICTUS” de Miguel Graça e “O Comboio da Madrugada” de Tennessee Williams, com o qual recebeu o Prémio Bernardo Santareno de Actor Revelação 2011. Para além de alguns trabalhos em cinema, tem sido presença regular em ficção para televisão. Em 2013 realizou a curta-metragem “Dingo”, selecionada para o 23º Festival Curtas de Vila do Conde. Encenou “Cassiopeia” de Miguel Graça e “Atirem-se ao Ar” de António Torrado para no Teatro Experimental de Cascais.

Nos Artistas Unidos:
2018NADA DE MIM de Arne Lygre, encenação Pedro Jordão (Teatro da Politécnica).
2019 OS ALIENS de Annie Baker, encenação de Pedro Carraca (Teatro da Politécnica).
2021MORTE DE UM CAIXEIRO VIAJANTE  de Arthur Miller, encenação de Jorge Silva Melo (Centro de Artes do Espectáculo de Portalegre / CCB); A CIRCULARIDADE DO QUADRADO de Dimítris Dimitriádis, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).